segunda-feira, 7 de maio de 2012

Família: O alicerce da vida!

Christofer Cruz

A palavra família aparece cerca de nove vezes no Novo Testamento. Essa palavra vem do latim e, em nosso idioma, entre outras palavras, significa viver em comunhão.
A Família em si é uma estrutura que acompanha o homem desde a Criação, pois, de acordo com a Bíblia, Adão e Eva formaram a primeira família humana.
O homem tem em si uma extrema necessidade de viver em família, pois sem esta ele não pode ter uma base sustentável e confiável.
Quero abordar uma primeira figura: a do pai. Um bom pai é aquele que busca assemelhar-se à figura de Deus como Pai, pois através Dele pode-se conhecer o que é ser pai, o que é amar e o que é educar. Um bom pai é aquele que zela pelos filhos, é aquele que educa segundo a Verdade e aquele que defende através da mesma, não admitindo que a mentira reine no lar. Um bom pai é aquele a quem seus filhos buscam assemelhar-se, vendo-o como um exemplo a ser seguido.
Uma segunda figura é a figura da mãe. Uma boa mãe zelosa transmite o sentimento de carinho e ternura. Uma boa mãe é uma mãe virtuosa, aquela que “Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa” (Pv 31.28a).
A terceira é a figura dos filhos. Filhos são bênçãos de Deus, os filhos são um dos maiores milagres que Deus já proporcionou ao homem, pois estes trazem alegria, felicidade e, de certa forma, tornam as pessoas mais sensíveis, amáveis e humanas.
Uma família só pode ser verdadeiramente feliz quando caminha com Deus, pois todos sabem que os filhos não nascem com uma “bula”, mas a “bula” que Deus nos deixou como “receita de como criar os filhos” é a própria Bíblia, pois esta, como é a própria Verdade, nos traz passo a passo como ter uma família feliz aos pés do Senhor.
Podemos citar dois dos ensinamentos que a Bíblia nos traz sobre isto, ela diz aos filhos: “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo. Honra teu pai e tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.” (Ef 6.1-3), e diz aos pais: “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” (Ef 6.4).
Quando reina no lar o doce amor, ou seja, o amor que vem de Deus, os dias são sempre felizes, a dor se esvai rapidamente. Quando reina no lar o doce amor, surgem bênçãos de todos os lados, os pais cristãos aos filhos ensinam a Verdade e confirmam isso com seus atos. Caso exista a pobreza no lar e também ao redor deste, esse problema é suportável, pois reina no lar o verdadeiro amor!
Segundo o dicionário Aurélio, a palavra família significa: pessoas unidas por laços de parentesco, pelo sangue ou por aliança, ou professam o mesmo credo, têm os mesmos interesses, a mesma profissão, são do mesmo lugar de origem, etc.
Ou seja, uma família não é somente um grupo de pessoas unidas por laços de parentesco, mas também pessoas unidas por aliança e, para nós, cristãos, essa aliança estáem Jesus Cristo, que nos une a todos aqueles que falam em seu nome em todas as nações, não importando a cor da pele, a cultura ou a denominação.
Que nós, como cristãos e, especialmente, presbiterianos, sejamos uma família unida, forte e fiel ao Senhor, uma família em que não há desavenças e/ou conflitos em seu meio, uma família em que há a integração de todos e uma família em que o que prevalece é o amor, o qual é aquele que nos une em um só corpo em Cristo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário